Santa Catarina

Panorama

(102-2 e 304-2)

27.946,62 hectares de terras próprias e 2.287,63 hectares em áreas de parcerias de plantio de Pinus taeda para produção de celulose e abastecimento da Unidade de papel Campina da Alegria (SC).

Nossas florestas estão distribuídas nos municípios de Água Doce, Catanduvas, Vargem Bonita, Ponte Serrada e Irani.

Geração de energia na Caldeira de Cogeração com a biomassa de Eucalipto.

Comercialização de madeira reflorestada e certificada para laminadoras e serrarias.

Resultados no ano

(102-15 e 304-2)

Produção de mudas:

Mais de 2 milhões de mudas produzidas em viveiro florestal próprio, sendo 1.944.822 de Pinus e 267.121 de Eucalipto (75% provenientes de sementes próprias).

Plantio:

955 hectares: 816 de Pinus e 138 de Eucalipto.

Colheita e transporte:

483.768 toneladas de madeira enviadas ao processo.

Produção de cavaco para biomassa:

Processo em duas frentes: utilização de resíduos de Pinus e o uso por completo do Eucalipto para serem picados em forma de cavacos para alimentação da Caldeira de Cogeração de Energia, em Vargem Bonita (SC).

Comercialização:

Aproximadamente 35 mil toneladas de toras de madeira com mais de 28 cm, vendidas para empresas laminadoras e serrarias da região.

Pesquisa Saúde e Segurança e Meio Ambiente:

Desde a implantação desta prática, em 2014, registramos mais de 272 desvios observados em saúde e segurança ocupacional, tratados em reuniões de análise crítica, e 464 observações de animais em campo.

Estrutura patrimonial e vigilância:

Uma torre de vigilância, um caminhãobombeiro próprio, equipamentos de combate a incêndio, monitoramento de 119 pontos totalizando 357 verificações mensais. Em 2018 foram registrados 3 focos de incêndio, mas nenhum provocou perda de área de produção.

Principais avanços

R$ 680 mil investidos na aquisição de equipamentos e estruturas para avanço na primarização da picagem de eucalipto no campo.

Ganhos de eficiência energética da matéria-prima florestal, com redução do percentual de serragem junto ao cavaco e menores índices de umidade.

Investimentos na renovação dos equipamentos do processo de colheita para melhora da produtividade e melhoras nos índices de conformidade, qualidade e saúde e segurança ocupacional.

Realização de dois kaizens no reaproveitamento de cavaco de Pinus e manutenção da silvicultura.

Evolução nos processos de regularização fundiária das propriedades certificadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), concluindo 2018 com 90 % de imóveis averbados.

O futuro que queremos

Melhoria contínua dos indicadores de conformidade, qualidade e saúde e segurança ocupacional.

Iniciar e consolidar o terceiro turno da atividade própria de picagem de resíduos de Pinus e Eucalipto (biomassa) no campo, com ganhos de produtividade e redução de custos.

Concluir a regularização fundiária das propriedades certificadas pelo INCRA.